Rotação de culturas: Como aplicar a técnica na sua lavoura
18 de Novembro de 2020 | Postagem realizada por : Rancho King

Rotação de culturas: Como aplicar a técnica na sua lavoura

A rotação de culturas é uma técnica muito utilizada quando o objetivo é diminuir a exaustão do solo. Por meio da troca de cultura a cada novo plantio, ela é uma forma sustentável de suprir as necessidades de adubação. Além disso, aumenta a produtividade, além de auxiliar no controle de pragas. Tudo isso sem deixar de lado os propósitos comerciais.

Benefícios da técnica

Se você ainda não faz a rotação de culturas, saiba que ela pode ser uma técnica valiosa na sua lavoura. Entre alguns benefícios que ela oferece, estão:

  • Melhora a qualidade do solo, pois diminui a compactação ao alternar espécies com diferentes profundidades de raiz. A compactação é uma das principais causas de degradação da qualidade física do solo, pois se torna resistente e menos poroso. Assim, não absorve água e oxigênio e diminui a produtividade das culturas. Além disso, proporciona melhores condições para a reprodução de micro-organismos que favorecem a manutenção de nutrientes do solo.
  • Diminui a incidência de pragas, doenças e plantas daninhas. Isso porque ao trocar de cultura, elas perdem as condições de sobrevivência. Além disso, a variação no uso de herbicidas, fungicidas e inseticidas diminui a capacidade de adaptação e resistência dessas pragas.
  • Aumenta produtividade de todas as culturas econômicas envolvidas no sistema de produção.
  • Permite a diversificação da renda da propriedade ao utilizar diferentes espécies vegetais para produção de forragem. Assim, reduz os riscos relacionados ao mercado e ao clima.

Preparando a lavoura para a rotação

O princípio de uma das técnicas de rotação de culturas é proporcionar uma cobertura vegetal e resíduos (palha) que possibilitará o plantio direto. Nesse tipo de plantio, a semeadura é feita diretamente sobre a palhada da cultura anterior. Essa técnica reduz o impacto das gotas de chuva, a temperatura do solo, conservando a umidade do mesmo e melhorando o controle das ervas daninhas.

Portanto, ao escolher as cultivares para a cobertura do solo, o ideal é dar preferência às mais adaptadas para cada região. Também, aquelas mais resistentes às principais pragas e doenças das culturas. Espécies com raízes profundas também são indicadas, pois rompem as camadas compactadas do solo e produzem mais biomassa de cobertura. Ademais, é uma vantagem serem úteis como forrageiras e/ou produtoras de grãos.

Preparo do solo

Outro aspecto fundamental na rotação de culturas é a preparação do solo. Se for feito da maneira correta, permite uma alta produtividade. Entretanto, do contrário pode levar à degradação.

Antes de tudo, é importante fazer uma análise de solo, verificando se a área está compactada. Caso esteja, a recomendação é fazer uma preparação incorporando calcário e gesso e para que nos demais anos agrícolas seja possível realizar o plantio direto.

Dessa forma, com um bom preparo do solo, ano a ano o produtor conseguirá uma melhora gradativa das cultivares utilizadas. Afinal, o processo favorece a absorção de nutrientes e maior resistência das plantas a variações extremas de umidade, por exemplo.

Quais critérios aplicar para realizar a rotação de culturas?

Na rotação de culturas, a quantidade de matéria orgânica no solo aumenta por conta das espécies que formam a palha. Para escolher os cultivos que farão a rotação, é importante levar em consideração alguns fatores:

  • Cultivar alternadamente culturas suscetíveis a certas doenças e pragas, com aquelas que são mais resistentes.
  • Também, optar por uma sucessão de espécies que levem em consideração efeitos positivos de uma cultura sobre a outra que virá a seguir. Por exemplo, de exigências nutricionais e aproveitamento nutritivo diferentes.
  • Alternar o uso de culturas que tendem a exaurir o solo com culturas que contribuam para melhorar a fertilidade do solo.
  • Ainda, selecionar culturas que tenham bom propósito comercial.
  • Selecionar plantas que produzam boa quantidade de fitomassa (massa dos seres vegetais que vivem na superfície do solo). Assim, será possível controlar os processos erosivos, diminuir as oscilações de temperatura e reduzir a perda de água pelo processo de evapotranspiração. Espécies indicadas são milho, soja, feijão, aveia e gramíneas.

Como escolher as espécies adequadas para a rotação de culturas?

Uma das formas de fazer a rotação de culturas é alternar entre espécies comerciais e espécies de cobertura. Estas últimas têm a finalidade de cobrir e proteger o solo e bons exemplos são as leguminosas. Elas promovem alta fixação de nitrogênio atmosférico, deixando parte dele para as culturas seguintes. Isso reduz a necessidade de adubação nitrogenada. Um exemplo de rotação deste tipo específica para o Sul do Brasil seria variar entre a soja e o milho (nas estações quentes) e o tremoço e a aveia (nas estações frias).

Outro modo de realizar a rotação é variar entre o cultivo de soja, milho e pastagem para o gado. Nessa técnica, após a colheita do milho é semeada a pastagem, aproveitada pelo gado por algumas safras. Depois disso, o capim sai de cena e se inicia um novo ciclo de lavoura com a soja e o milho safrinha por uma ou mais safras, até retornar a pastagem.

Para um plantio de qualidade, você pode contar com as melhores sementes em grande variedade disponíveis em nosso site.

Deixe o seu comentário